Se eu ficar

A vida é louca, meus caros. 

Venho pensando na frase inicial desse texto desde o início dessa semana quando eu e alguns familiares conversamos sobre a vida, a morte e os sonhos que possuímos. Comentamos  sobre o quanto somos instantes por aqui e como tudo um dia acaba.

No mesmo dia em que refleti sobre uma pancada de coisas que nos afeta, assisti a um filme dramático e romântico ao mesmo tempo. 

Depois de ter me afogado em romances clichês, leituras quase incríveis e filmes desconhecidos por boa parte do mundo encontrei outro drama adolescente quase clichê também. Porém, as quase 1h46min de filme (trailer) me fizeram olhar o mundo de uma maneira bem mais detalhada como de costume.





natal com a melhor avó do mundo (in memorian)


Os segundos são uma dádiva e a forma como vivemos também é. Eu gosto de abraçar a vida todos os dias e escrever uma carta de amor à Deus sempre que eu posso. Durante cada segundo eu ouço o mundo chorar e em cada choro eu estremeço.

Viver é um desafio diário, mas que de alguma forma vale mesmo que as coisas não estejam tão legais assim.


Voltando ao contexto do filme citado, a personagem principal do filme Se eu ficar perde os seus pais e o seu único irmão em um acidente horrível de carro. No instante em que eles faziam planos um veículo apareceu na curva e a partir dali tudo mudou. E foi nesse instante que eu pensei o nosso viver como um sopro sereno onde tudo, em instantes, pode ser destruído. 


"Mia tinha tudo para ser completamente feliz, uma família maravilhosa e moderna, um talento incrível para música, um dedicado namorado e uma melhor amiga que todo mundo sonha ter. Um dia tudo isso muda, e de repente todas alternativas para sua vida somem." (Regina)



Cada acontecimento trás a ideia de que devemos aproveitar os nossos instantes e amar os que estão ao nosso redor como se fosse a última vez. Mesmo a autora tendo trazido uma história com final quase esperado, eu me emocionei pelo simples fato de entender o que o filme quis passar todo o tempo: a música é o alimento da alma assim como o amor verdadeiro.

A mensagem que eu quero trazer hoje é que mesmo com tanta coisa ruim acontecendo eu peço que vocês deem espaço para o amor. Pode ser da menor forma possível, mas olhem a vida como uma poesia sem fim para finalmente conseguirem viver. Pratiquem o amor, dê o sentido que o amor merece.

2 comentários:

  1. Que blog mais amor! Muito lindo tudo aqui Larissa, parabéns!
    http://pequenodiariodebordo.com/

    ResponderExcluir
  2. Que linda, Mari! Agradeço o seu carinho <3
    p.s.: seu blog é muito amor.
    Beijão!

    ResponderExcluir