novembro 30, 2015

A regra do milímetro


Se tem uma coisa que eu aprendi em dois períodos de Serviço Social é que você precisa ver o mundo como ele é; e apontar de uma vez por todas a causa de um problema antes mesmo de julgá-lo sem ao menos saber como ele se formou.

Esse ano não foi fácil. Me questionei mais que o normal e chorei por motivos que achei serem os piores do mundo, quando na verdade eram os mais bobos. A vida me deu umas porradas e um "acorda aí, minha querida". E o porquê dessas maluquices perpassarem os meus dias, eu nunca entendi. Vai ver eu tô realmente crescendo e precisava de uns tapas horríveis na cara. Sei lá. 

E depois de estudar um período na faculdade que durou um ano devido à greve justa dos professores, eu concluí uma parada que apenas me dei conta quando a melhor professora que tive na vida me explicou. A mesma disse que somos lapidáveis. A real é que C. foi uma das poucas que se preocupou com cada estudante que estava em sala e eu sou grata por cada puxão de orelha que me fez crescer e reconstruir o meu eu.

Quando estudamos o artigo Glosas Críticas Marginais "O Rei da Prússia e a Reforma Social de um Prussiano" (1844) de Karl Marx, C. falou algo que eu nunca vou esquecer. Ela explicou que fora a uma oficina e contratou o serviço para que arrumassem uma peça do carro dela. Enquanto o senhor x ajustava os detalhes do objeto, ela observava o seu trabalho. E que incrível trabalho! Imaginem que o mesmo teria de observar detalhadamente o que estava fazendo, pois se errasse um milímetro o seu esforço seria inútil e a peça, por sua vez, seria descartada.

Tá, ok, Lary. Isso importa? Importa pra dedéu, caro leitor. Veja, somos errantes e incríveis ao mesmo tempo. Se por um lado tropeçamos, de outro, a vida nos entrega caminhos para seguir. É a regra do milímetro. Somos adaptáveis; melhor, somos lapidáveis. Se eu não pensasse dessa forma, certamente iria engolir tudo que me fosse entregue daqui pra frente. Entende? A vida prega peças como a do mecânico que citei. Você é a ficha da vida. Escreva a sua história da melhor maneira; seja você. Pensar é a chave e eu sei que você pode.




Imagem Via We Heart It

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
poético diário 2014-2017 | design por Beautifully Chaotic