março 01, 2016

Poesia pro ano começar bem, amém





Teve poesia até na alma. 

Estamos no início de março e trouxe algumas leituras que já fiz até aqui. Confesso que já deveria ter mostrado isso antes e quer saber? Concluí que um livrinho nunca é exagero. No meio de tantos estudos a coisa mais saudável a se fazer é respirar fundo, comer, ouvir canções e ler poesia; e essa foi a minha combinação. 

Vos cito abaixo alguns livros que li, peguei emprestado na faculdade e que me entreguei totalmente nos últimos dois meses. O objetivo da publicação é indicar tais obras pra vocês, perdoem os comentários beeeem mastigados; prometo fazer uma crítica mais justa da próxima vez. Enfim... Espero que sintam o gosto de poesia! :)






O livro um foi uma surpresa gigante! É de autoria da escritora Alice Ruiz e se chama Navalhanaliga, assim mesmo, escrito tudo juntinho. Alice é dona de uma escrita nua que se aventura pelos mais variáveis sentimentos. Infelizmente precisei entregar o livro e acabei esquecendo de anotar uns versos; o que me fará, inclusive, ter vontade de tê-la incontáveis vezes. E, ah, uma característica massa desse livro é a forma que ele tem. O livro é "gigante" e possui palavras que ocupam o tamanho da página, adorei isso. Livros que brincam com formas, poesias e com os nossos olhos, me ganham fácil.


O livro dois, segunda indicação de um amigo querido, fora lançado em 2003 e traz consigo a fé, o amor, a espera pelo Juízo Final e tudo que um coração cristão pode suportar. Bagagem, de Adélia, me fez chorar em inúmeras poesias por fazer uma análise minuciosa do que realmente é a vida. Cá trouxe um trecho de uma das suas poesias:

"[...] súbito é bom ter um corpo pra rir
e sacudir a cabeça. A vida é mais tempo
alegre do que triste. Melhor é ser."


O livro três tem nome de vida, se chama O vôo do pássaro azul onde marquei muuuitas páginas no mesmo, juro. Dentre os poemas marcados estão: se me pedires, rua borborema, aonde vais?, terceiro canto, rua borborema II, ó flor de lis, rememória, sou isto, testamento, gosto de você, a prece da chuva, o viajante, ela se foi. Ufa! A única "desvantagem" é que, por aqui, só encontrei esse livro na biblioteca da UFAL mesmo. Esse é de autoria da Maria Carriço, escritora brasileira, daqui do Nordeste e fora lançado em 1992.


O livro quatro também fora escrito por uma mulher, a Stella Carr. e se chama Caderno de capazul. O livro em si traz a definição mais doce da alma de uma criança. De leitura simples faz com que cada leitor retorne ao passado ou crie a sua infância no momento da leitura. Stella remonta um universo com cometas, planetas e segredos que apenas versos poéticos podem nos explicar.





As leituras de março já começaram por aqui e espero, de coração, poder ler num ritmo melhor. E pra começar muito bem abraço duas obras. A primeira, é da maravilhosa Simone de Beauvoir com o livro "O segundo sexo"; e a segunda leitura se chama "Por ocasião da minha última tarde" da escritora Kaye Gibbons. 


Até mais, pessoal! Bisous  <3


2 comentários:

  1. Adorei o post, Lary. Tô me punindo por nunca mais ter lido nada além dos artigos que os professores passam e os livros sobre os assuntos das aulas, quero uma folga logo! :(
    Seu blog tá lindo! Beijo! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te entendo muuito bem, Laisinha! Em pensar que esse ano será longo na faculdade o legal é arrumar um "jeitinho" de ler algo por fora, ouvir umas canções, ver uns filmes e sentir o mundo. Tô tentando conciliar, tô tentando...

      E fico feliz com a sua visita e o carinho. Obrigada mesmo! Depois me fala como tudo está caminhando por aí, favor. Beijos <3

      Excluir

 
poético diário 2014-2017 | design por Beautifully Chaotic