março 23, 2016

Feito com amor


Sempre que dá eu faço alguma mudança no meu quarto. Eu sempre sonhei com um lugar simples, aconchegante e que desse pra eu me inspirar numa boa; no entanto, eu só pude ir arrumando esse cantinho da casa em intervalos longos, do tipo anos mesmo! E durante cada mudança eu percebi que dá pra ter um lugar com a sua cara e gastando pouquíssimo com detalhes que fazem toda a diferença.

Ainda não gravei nada sobre o assunto, mas pelas fotografias vocês podem ter uma ideia de como se encontra parte do meu lar. Então... let's go! :D


continue lendo

março 17, 2016

Bee happy

Vocês devem ter notado uma abelhinha na sidebar - no canto direito do blog. Tempos bons trouxeram mais um projeto ao qual me unirei, e o da vez se chama "Bee Happy", desenvolvido pela Laís do blog Candy Deer

Muito me agrada publicar por aqui quando o tempo está tranquilo e leve. E esse projeto traz justamente esse objetivo: seis registros do mês que passou, sendo eles aleatórios ou não; com um tema específico ou não também. E com a correria entre faculdade, cursos extras e os tantos etc que a vida nos doa, penso ser incrível amar essas lindezas (lê-se projetos). <3

Então, como um post introdutório, vos mostro os registros desse mês de março, que tal? E, ah, para qualquer outra informação é só clicar aqui e conversar com a Laís.

Agora, as fotos desse mês... :)










1. Bolinhas + linhas + tsuru ganharam o meu coração e um lugar especial no cantinho do quarto <333

2. Sim, finalmente, f i na l m   e  n te, eu comprei uma versão do livro "O Pequeno Príncipe". E se alguém quiser me presentear com a versão francesa tô aceitando também hihi

3. Uma florzinha do campo que ganhou meu coração ✿❀

4. Quando saí da trilha da paz, no Parque Municipal de Maceió, subi essa escadinha e... amei essa vista. Ahhhhh

5. Essa luz no fim do dia, em um dos cantinhos que enchem os meus olhos de amor no Parque Municipal de Maceió também

6. Meu Converse pretinho e básico (e sujo <3)




Weee, amei participar do primeiro "Bee Happy" e espero que tenham curtido tanto quanto eu! E, ah, para acompanhar o projeto lá no Candy Deer também é só clicar aqui. Bisous! Abraço sincero. ♥
continue lendo

março 13, 2016

Para ouvir e sentir

crédito


Em 2014, não lembro bem, assisti, pela primeira vez, ao filme Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain. Eu beirava os meus dezessete anos e talvez, naquele ano, eu não ouvia as canções do Yann Tiersen como ouço hoje. E depois de tanto tempo sendo inspirada por tal, resolvi trazer uma playlist toda especial para vocês que incluem raridades do Tiersen e outras que ouvi por aí. :)



The Moody Blues - Nights In White Satin



Yann Tiersen - Sur Le Fil (essa interpretação!!!)

Yann Tiersen - A Quai

Daniela Andrade - La Vie en Rose

The Underground Youth - Mademoiselle (álbum completo)






continue lendo

Sem medo de fotografar

Não é pelo tempo e nem por falta de vontade, é medo mesmo. 

Chega a ser cômico eu dizer que não publico as minhas fotos por medo de tais não estarem legais o suficiente. E é nesse momento que uma interrogação gigante surge na minha frente e diz "qq tá conteseno, filha?". E o que é ser bom o suficiente? Pois bem, depois de muito andar por aí e conhecer galerias tão incríveis e diferentes, descobri um feito que muitas pessoas faziam com que eu não enxergasse: cada qual possui o seu "quê", dessa forma, ser bom o suficiente é ser quem tu é. Então, meus amigos, aqui vão umas aleatoriedades que talvez não façam sentido, mas, eu tô feliz assim.

A graça da vida se encontra em você aprender, errar o foco da foto (lê-se eu), a edição e descobrir uma melhor maneira de fotografar a cada dia, para enfim, se encontrar de vez. E é isso que tô fazendo.






continue lendo

março 07, 2016

Diário de fevereiro







Uma semana de março já partiu e com ela vieram as provas da facul e outros detalhes que o ano trouxe. Mesmo assim, eu não poderia deixar de trazer o vídeo que represente o mês passado. Cês vão ter que me perdoar (risos).

Na maior parte do tempo eu não gravei como deveria, e até durante minha última viagem, eu esqueci de mostrar mais coisinhas pra vocês. Me perco de amores quando assisto a Dani Noce, a Isa, a Jout e tantos outros [...] e é nesse instante que eu penso se devo ou não começar a produzir pra valer ou se fico com os meus diários mensais e receitas (vez outra). Pois é, amigos, sinceramente, e do fundo do coração, pretendo ficar no ritmo que tudo está caminhando.  É muito melhor conseguir fazer tudo em um tempo "ok" e com o coração levinho, né?

Céus, eu falo muito! Ops, escrevo. Mas tô resolvendo esse probleminha também hahaha 


           
Para assistir é só clicar aqui.
continue lendo

março 01, 2016

Poesia pro ano começar bem, amém





Teve poesia até na alma. 

Estamos no início de março e trouxe algumas leituras que já fiz até aqui. Confesso que já deveria ter mostrado isso antes e quer saber? Concluí que um livrinho nunca é exagero. No meio de tantos estudos a coisa mais saudável a se fazer é respirar fundo, comer, ouvir canções e ler poesia; e essa foi a minha combinação. 

Vos cito abaixo alguns livros que li, peguei emprestado na faculdade e que me entreguei totalmente nos últimos dois meses. O objetivo da publicação é indicar tais obras pra vocês, perdoem os comentários beeeem mastigados; prometo fazer uma crítica mais justa da próxima vez. Enfim... Espero que sintam o gosto de poesia! :)






O livro um foi uma surpresa gigante! É de autoria da escritora Alice Ruiz e se chama Navalhanaliga, assim mesmo, escrito tudo juntinho. Alice é dona de uma escrita nua que se aventura pelos mais variáveis sentimentos. Infelizmente precisei entregar o livro e acabei esquecendo de anotar uns versos; o que me fará, inclusive, ter vontade de tê-la incontáveis vezes. E, ah, uma característica massa desse livro é a forma que ele tem. O livro é "gigante" e possui palavras que ocupam o tamanho da página, adorei isso. Livros que brincam com formas, poesias e com os nossos olhos, me ganham fácil.


O livro dois, segunda indicação de um amigo querido, fora lançado em 2003 e traz consigo a fé, o amor, a espera pelo Juízo Final e tudo que um coração cristão pode suportar. Bagagem, de Adélia, me fez chorar em inúmeras poesias por fazer uma análise minuciosa do que realmente é a vida. Cá trouxe um trecho de uma das suas poesias:

"[...] súbito é bom ter um corpo pra rir
e sacudir a cabeça. A vida é mais tempo
alegre do que triste. Melhor é ser."


O livro três tem nome de vida, se chama O vôo do pássaro azul onde marquei muuuitas páginas no mesmo, juro. Dentre os poemas marcados estão: se me pedires, rua borborema, aonde vais?, terceiro canto, rua borborema II, ó flor de lis, rememória, sou isto, testamento, gosto de você, a prece da chuva, o viajante, ela se foi. Ufa! A única "desvantagem" é que, por aqui, só encontrei esse livro na biblioteca da UFAL mesmo. Esse é de autoria da Maria Carriço, escritora brasileira, daqui do Nordeste e fora lançado em 1992.


O livro quatro também fora escrito por uma mulher, a Stella Carr. e se chama Caderno de capazul. O livro em si traz a definição mais doce da alma de uma criança. De leitura simples faz com que cada leitor retorne ao passado ou crie a sua infância no momento da leitura. Stella remonta um universo com cometas, planetas e segredos que apenas versos poéticos podem nos explicar.





As leituras de março já começaram por aqui e espero, de coração, poder ler num ritmo melhor. E pra começar muito bem abraço duas obras. A primeira, é da maravilhosa Simone de Beauvoir com o livro "O segundo sexo"; e a segunda leitura se chama "Por ocasião da minha última tarde" da escritora Kaye Gibbons. 


Até mais, pessoal! Bisous  <3


continue lendo
 
poético diário 2014-2017 | design por Beautifully Chaotic