abril 29, 2016

Sol e chuva

Esses dias eu vi as luzes do fim da tarde se estreitarem pela janela. Nesse instante o dia foi se distanciando, ficando longe, longe, longe... e corri pra pegar a câmera na prateleira. Diante desse gesto refleti um tanto sobre o viver, as pessoas, os dias e o fim de tudo (...) pois, por vezes, nossa vida é como o sol que se distancia; ficamos cada vez mais conscientes que iremos desaparecer aos poucos - e realmente é assim. Só que esse mesmo sol me ensina que se não pararmos para observá-lo, que graça há em viver? Afinal, nem todos os dias a luz entrará pelas frestas da sua janela; outras vezes 'cê vai ter que fechá-la pra chuva não entrar.



continue lendo

abril 18, 2016

We Heart It e o lar doce lar



Vamos atualizar a categoria artedesign com a ajudinha do melhor lugar para você se inspirar, o We Heart It.

Então, amigos, dia desses comecei a ser uma pessoa mais organizada e isso inclui a minha rede social favorita. Na pasta lar doce lar acabei por salvar as decorações mais incríveis desse mundo; e o que mais me cativou em tais foi a sensação do "eu que fiz cada detalhe dessa casa". São decorações intimistas que te convidam a ficar um pouco mais no lar, é muito amor.

Não sei ao certo como se chama esse estilo decorativo, mas penso que tem alguém que tá apaixonadinha por tal (nesse caso, sou eu).

As seis primeiras fotos definem bem o que quero abraçar. Essa coisa de espalhar quadros, fotografias e arte casam direitin com o meu coração; além dessas portas gigantes - pra atrapalhada aqui não sair derrubando tudo hehehe.




Pessoas que inspiram:

Na nossa vida
Dele e dela



Até mais, queridos/as.

continue lendo

abril 15, 2016

Quando a poesia nasce



"cheiro de infância
e de sempre."


As terras continuam as mesmas, os aviões por lá continuam a voar - assim como as minhas lembranças. Cresci e morei por esses lados durante os meus três primeiros anos de vida. Para muitos, toda essa área é só um amontoado para receber pilotos aos fins de semana, enquanto eu, bebo poesia juntamente aos pássaros e a tudo de bom que esse canto pode me transmitir; afinal, a graça de viver se encontra nos detalhes, não é?








também tô no instagram, viu? até logo ♥

continue lendo

l.e.v.e





"Leve, leve, muito leve,
Um vento muito leve passa,
E vai-se sempre muito leve.
E eu não sei o que penso
Nem procuro sabê-lo."

fernando pessoa



continue lendo

abril 10, 2016

Voa

É como se os ovos, frutos da relação poética entre borboletas, evoluíssem e eu eternamente permanecesse lagarta no casulo; e por mais que a minha mente forçasse voo, paralisada eu sempre estaria. A vida é como o salto do anfíbio que busca adaptar-se às incertezas mutáveis da existência, e por esse motivo, faleço a cada respiração sem mesmo querer tentar o que pudera ser. Então questiono-me se a vida realmente é isso que vivo, se o que procuro suprirá realmente alguma vontade ou se o castelo de ilusões que imagino será sempre o meu abrigo. Agarro-me às melodias francesas da mesma maneira que olhos nus adotam constelações; não sei se findo ou cavo e me prendo no perfume do desconhecido, na canção de quem está distante e na dúvida da existência do invisível. E assim sigo errando crases, pontuações, vírgulas [...] mas, acima de tudo, com vontade de viver. 

Por isso essa publicação nua. Meus dedos tortos, meu cabelo a crescer mais uma vez, minhas olheiras, um galho morto e um pássaro para que eu possa fazer um pedido sincero: que possamos voar sem medo.






Até logo...
continue lendo

abril 09, 2016

Lu,



Seu peito hoje floresce e as flores chegam aqui; seu poema é a minha prece. Como as coisas andam por aí? Espero que os ventos soprem, as nuvens se movam e os pássaros continuem a voar, minha querida. Hoje os meus poemas são seus e suas flores sempre serão minhas. Te desejo a paz que o mundo inteiro pode suportar, e talvez um pouco de loucura, pois só assim a vida parece caminhar.

Feliz vida, feliz ano.



"Pode inventar verbos? Quero dizer-te um: ” - Eu te céu”. Assim minhas asas se estendem enormes para amar-te sem medidas." 

Frida Kahlo



de lary, abril 2016; para lu
continue lendo

abril 01, 2016

Os da vez

***

Março foi bem ok, tirando as semanas "qq ta conteseno" da faculdade e os momentos finais da temporada de The Walking Dead. No mais, abracei três leituras incríveis: Ética e sociedade, Escrita criativa: o prazer da linguagem e A arte de escrever bem.


// ética e sociedade 
O primeiro livro citado fez parte da primeira unidade da disciplina Ética em Serviço Social que estudo na facul. E que livro! Depois que os meus olhos entenderam que tem um mundo gigante lá fora, me tornei crítica - e isso inclui dizer que me desprendi de todo o conservadorismo que me obrigava a não ver o mundo como ele realmente é. Mas me recuso, por enquanto, a conversar abertamente sobre isso, sei lá, agora não. Acho que cês me entendem. No fim, esse livrinho possui 58 páginas e é dividido em quatro unidades. Na primeira, intitulada de "Para que filosofar?", Lúcia Barroco nos convida a entender a necessidade de mantermos uma atitude crítica dentro da sociedade; aquele saber diferente do senso comum. Nas demais unidades "Em busca de fundamentos éticos" (deixar claro que recebi vários tapas na cara ao ler esse capítulo), "Práxis, trabalho e cultura" e por último, "Ética e liberdade".




// a arte de escrever bem & escrita criativa: o prazer da linguagem 
Me deixem dizer que esses livros serão essenciais daqui pra frente nos meus dias tanto para produzir uns escritos aqui; além de formulários, diários de campo e tudo que esse mundão me oferecer. O primeiro livro, A arte de escrever bem (2010) é de autoria da Clair Alves e dele retirei muuuitos trechinhos sobre uns toques que a autora me deu, então...


* "Beugrande diz que devemos pensar um texto como um lugar de constituição e interação de sujeitos sociais"

* "Obedecer à ordem natural é o mais apropriado: sujeito + verbo + complemento + adjuntos"

* "Explora o humor, faz poesia de coisa banal" 

* "Diz coisas muito sérias, por meio de aparente conversa fiada" 

* "Manter aceso o caldeirão da criatividade. Tornar-se obcecado pelo problema"


Por mais simples que essas dicas possam parecer acabei abraçando tais como se fosse a primeira vez que as ouvi. Existem muitos capítulos com as suas particularidades, e Clair Alves nos convida a pensar a escrita como algo prazeroso - e é. Essa coisa de manter-se curioso e de se inspirar por aí deve sempre fazer parte dos nossos dias; e foi justamente esse empurrão que a Clair me deu. Tem tempos que tu nem lê direito e escrever que é bom também não. Talvez por esse meu distanciamento de tudo, nem um risco de poesia arriscou nascer, mas juro que tô me arrumando.

O segundo livro, Escrita criativa: o prazer da linguagem me fez lembrar que...

Escrever "acima de tudo: requer a tênue conjunção de treino e prazer. Você precisa sentir a satisfação de escrever independente do resultado. O que importa, de início, é produzir textos como exercício da imaginação." (Allende, 2003, p. 52) Tá aí a palavra: exercitar. Se você, assim como eu, ama escrever umas coisinhas, o exercício deverá ser o seu companheiro. Abraça aquele site que 'cê amou, ouve a canção que não sai da sua cabeça, inventa uma crônica tipo essa que eu escrevi (alô alô fãs de twd) e seja feliz porque errar também é luz.

Por fim, um agradecimento especial aos autores que nos dão motivos para continuar e provam que em cada cantinho há poesia - e aos leitores queridos que dão sim aos erros dessa aprendiz. <3

| livrinhos
BARROCO, Lúcia. Ética e Sociedade.2. ed. Brasília: CFESS, 2003. |
ALVES, Clair. A arte de escrever bem5. ed. Petropolis: Vozes, 2010. NIZO, Renata Di. Escrita criativa: o prazer da linguagem . 2. ed. S?o Paulo: Summus, 2008.




Bom fim de semana,
Lary

continue lendo
 
poético diário 2014-2017 | design por Beautifully Chaotic