maio 31, 2016

Bee happy: maio



 

 
 


 Maio sempre terá um sentido doce. É o mês mariano, aniversário de boa parte da família, mês das mães, das descobertas e... das férias. Por isso o Bee happy desse mês será como um diário aberto de coisas que fiz/ouvi e que me fizeram bem. Vamos lá! <3



• O cd Rosa de Saron Acústico e Ao Vivo 2/3 sempre me fará cantar alto, chorar e orar. Se eu pudesse escolher uma canção desse trabalho seria a releitura de "Um novo adeus" (2009)

• Gente, eu bordei a minha primeira camisa. Yay! Digamos que... hum... ficou o bordado mais torto do mundo. Li a frase "no rain, no flower" e senti uma vontade imensa de tatuá-la futuramente; e enquanto esse momento não vem bordei - logo mostro por aqui

• Paula é um escrito que conta a vida de Isabel Allende - escritora chilena - para a sua filha Paula. Uma obra que me pegou pelo coração e que logo logo vou contar direitinho pra vocês

• Parte do meu cantinho enquanto eu visitava e amava o meu perfil no We Heart It

• A biblioteca pública da cidade possui as janelas mais lindas, além das varandas. E sim, essa é a visão que você terá enquanto lê/estuda

• Stella no último ensaio que fiz em maio. Apliquei essa edição por acaso e esse acaso me fez gostar ainda mais do registro 


 Posso indicar outra canção, posso? Então pra essa publicação ficar completa vai ter "Me espera" da Sandy ft. Tiago Iorc ~suspiros~





E, ah, visitem o cantinho da Laís! O Bee happy de maio dela está bastante inspirador; certeza que vão amar assim como eu. <3



até mais, pessoal.
continue lendo

maio 25, 2016

5 coisas que iluminaram o meu mês



Existem palavras e momentos que nos fazem repensar um melhor sentido pra vida mesmo quando ela tropeça. Aí, nesse instante, eu decidi compartilhar cinco fatos/coisas favoritas que aconteceram até agora nesse mês de maio. Imagina se tivermos algo em comum?

1. Sleeping At Last. Viajando pelas playlists maravilhosas do Spotify descobri esse grupo musical, ao qual tem o universo como inspiração. Certeza que é uma das descobertas mais incríveis da minha vida! O álbum que mais ouço é o "Atlas: Year One" de 2014. E as músicas por ele presentes possuem nomes um tanto convidativos para que possamos de uma vez ouvi-lo. Sun, Mercury, Venus, Earth, Moon, Mars, Jupiter são só alguns dos nomes que compõem o cd. Para ouvir é só clicar aqui. :)

2. A noite. Tiê ainda era desconhecida nos meus dias, mas ainda bem que ao cantar no Karaokê (Smule) a minha dupla já havia cantado essa canção, aí só tive que ouvir algumas vezes para aprendê-la. Me perdi no que era real e no que inventei foi a parte que mais me identifiquei. A gente sofre mesmo. Essas canções só nos ajudam a entrar na fossa de vez. Obrigada, Tiê.

3. Prosa de segundo. Já não é segredo que antes de dormir ouço umas composições e leio uns versos. E durante uma dessas madrugadas uma pessoa que muito admiro publicou um poema no instante em que eu estava sendo tomada por um. Percebam que eu falei no instante... foi coincidência poética, certeza. Nesse instante fui falar com essa pessoa e no decorrer entendemos que sentir dor faz parte. Acabei citando um verso de um dos meus poetas favoritos, Álvares de Azevedo, quando esse diz que a vida é uma planta misteriosa; e eu sei que é. Sentir dor é necessário para que você possa, finalmente, viver. Estranho, não? La vie, la vie. Esse instante de prosa com esse camarada me fez ganhar o resto da noite, ou talvez todos os dias que me restem.

4.  O meu trabalho de Ética. Um fato que muitos não sabem é que eu estudo o suicídio e suas particularidades. E nesse semestre da faculdade que passou desenvolvi uma pesquisa sobre o suicídio frente às doenças irreversíveis. Passei horas lendo, relendo e escrevendo esse documento; no fim consegui nota máxima e isso me deixou tão orgulhosa pra continuar que nem sei medir o quanto.

5. Isabel Allende. Eu sempre me aventuro com as obras disponibilizadas pela biblioteca da Universidade e nessas aventuras descobri a Isabel. Meu Deus, que mulher, que história! Paula foi uma obra que me pegou pela alma, pelo coração, pela mão. Fiquei surpresa com a forma que a autora interpreta a vida e o viver; logo estarei a ler outra criação de sua autoria e também comentarei bem detalhadamente esse escrito de 1992.

 E vocês, tem algum momento especial ou dica para compartilhar? Podem comentar que conversaremos sobre ♥



até mais, pessoal.
continue lendo

maio 23, 2016

O último dez


Como podem os ventos soprarem com essa velocidade? Vocês ainda não perceberam? Maio raiou e quase estar a findar. E mais, daqui a umas semanas os vinte anos chegarão pra moça que vos escreve. Como podem os ventos soprarem com essa velocidade? E a tendência é que a precisão como eles sopram aumente cada vez mais. Nesse instante percebo que todos aqueles desejos de uni duni tê devem começar a serem tão reais quanto a folha A4 que rabisco todos os dias.

Ontem arrumei a minha prateleira pela quinta vez durante os três últimos meses. Arrumei os livros por cores, deixei o primeiro cd do início da minha coleção de cd's do Rosa a mostra e todas as polaroids reveladas formaram uma fila  na parede que encontra a cozinha. Dessa vez meu rabisco natural também beijou o azulejo e uma rosa morta entrou pra decoração.  Tô ficando velha e louca. Velha aos dezenove, isso pode pode proceder? É claro que pode. O fato é que estamos no dia vinte e três de maio -  maio gente ee e. E depois de um tempo a vida começa a jogar uns tijolinhos na nossa cara, e nesse instante você repensa tudo que está ao seu redor. Suas escolhas, o que você está estudando, o que será do amanhã... Vish, acho que tem alguém pensando no tal dos vinte.

E quando percebemos o tempo passou, choveu, o sol apareceu. É só ter calma pra viver, né non? Ou pelo menos tentar ter.



até mais, pessoal!

continue lendo

The sound of silence


"hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
because a vision softly creeping
left its seeds while I was sleeping
and the vision that was planted in my brain
still remains within the sound of silence"


   
                                                                                                                  
Existem canções que precisam ser compartilhadas apenas pelo fato de existirem. E mais, quando esses grupos incríveis possuem a grandiosa coragem de fazer uma releitura meu coraçãozinho não aguenta e venho logo compartilhar com vocês. :)



até mais, pessoal.

continue lendo

maio 18, 2016

Da rua







nature, photography, minimal, poetry... como eu amo essa combinação! e maio tem sido doce, doce, em paz - mesmo em meio aos tropeços, mas assim deve ser até que tudo se normalize... ou pelo menos deve ser.



até mais, pessoal ♥
continue lendo

maio 17, 2016

Arte, voltei

Ano passado eu havia criado uma loja virtual. Inventei que precisaria largar tudo que eu estava fazendo pra me entregar, somente, à arte e aos projetos que em mim habitavam. Deu certo, Lary? Não, não deu. Só quando eu respirei fundo entendi que precisaria muito trabalhar uns traços, e mais, teria que me conhecer melhor. E o que você resolveu? Resolvi preencher um livro em branco, literalmente.

Há dois anos, a Lê me deu um livro em branco maravilhoso. Ele é vermelho, de bolso e tem capa dura. Resolvi preenchê-lo. Nele existem poemas que crio antes de dormir, rabiscos que meu coração grita e folhas que encontro por aí... e, ah, as melhores (ou não) sensações que posso suportar. Adianto que estou super animada e a tendência é que as páginas que ali estão sejam amadas. E que meu aniversário está se aproximando, logo, sketchbooks já podem ser enviados hihihih ♥







até mais, pessoal ♥



continue lendo

maio 13, 2016

Dias assim

Depois que dei um fim no meio metro de cabelo percebi que boa parte de mim foi embora junto. Isso soou o mais positivamente possível pra que eu pudesse entender que eu posso ser quem eu quiser.




Só não posso dizer que passar por uma transição é super ok porque não é. O cabelo cresce, o peso da progressiva não deixa os cachos respirarem devidamente e o calendário passa a ser o meu amigo. De outubro pra cá fiz cinco cortes e boa parte de mim foi junto. 

É só questão de tempo, eu sei; nós sabemos. Então tá tudo bem por aqui. E aí, como tá?








continue lendo

maio 10, 2016

Camera Obscura, já ouviu?



Não lembro o ano exato que conheci a banda Camera Obscura, mas tenho a certeza que foi um amor imediato sentido a uns três anos. Ultimamente tenho sido entregue às playlists indies lá no Spotify e por esse motivo resolvi reescrever essa publicação e apresentar a banda inicialmente citada por aqui também.

Formada em 1996, é um grupo musical escocês de indie pop/indie rock. O primeiro clipe que assisti fora o da canção French Navy e muito me agradou como a fotografia casou com as produções. O estilo antigo, as batidas... ah! Um universo incrível que nos remete a deliciosa sensação de viver em outro tempo. Por isso eu não poderia deixar de compartilhar por aqui. :)



french navy



the sweetest thing



até mais, pessoal ♥

continue lendo

maio 08, 2016

Mãe




Quando eu tinha os primeiros anos de vida, lembro muito bem, de quando corria ao te ver chegar do emprego; tenho certeza que só o teu cheiro e o teu calor me bastavam - e continua assim até hoje. Por isso, mãe, quando o relógio marcou 00:00 a única coisa que consegui fazer foi chorar de felicidade. Sabe o motivo? Eu sempre tive você. Mas todos nós sabemos que isso não ocorrerá para sempre; e o que importa é que nesse instante eu tenho você.

Aos dez chorei por não ter entendido como se resolvia uma prova dos nove de matemática, você veio, me explicou e me aliviou. Aos dezesseis, tive início de depressão e você me mostrava que a vida não era como eu imaginava; só assim consegui caminhar e me recuperar. Nós sempre brigamos pelos motivos mais bobos desse mundo e em segundos estamos nos perguntando se é necessário colocar mais açúcar no café ou não. Ah, mãe!

Você é a minha poesia mais sincera.

Hoje o dia não é comum; é duplo. Seu dia em dobro. Dia da mãe e seu aniversário. Que presente eu poderia te dar? Você está comigo, respondeu ela. Eu só desejo a paz que os céus podem dar, esse sim, é um pedido sincero - além de um verso sereno como tu sempre me pede sem medidas. A vida é breve e ver-te completar mais de cinco décadas em terra com tantos poemas a me entregar, faz-me ver que eu sou a pessoa mais feliz do mundo. 


a eternidade 
nos põe lado a lado
porque em ti sempre farei
morada;



continue lendo

maio 06, 2016

O melhor tempo para viver




Não custa você jogar a mochila e falar bobagem com os amigos. Estamos no segundo ano da faculdade e já perdi as contas de quantas vezes choramos e falamos que já não dava pra continuar pois tudo estava complicado demais. O ônibus atrasava, as matérias perdiam o sentido... ah, mas vai ver o que sempre precisávamos era de tempo. Um tempo para olhar pra trás e ver que a vida continuará correndo mesmo que estejamos transbordando de dúvidas e lágrimas. Nesse sentido, olhamos para dentro de nós, e em meio ao caos, descobrimos que a banda toca conforme os nossos passos; os ritmos não poderão nos ferir, nós que afinamos o violão. 

E o que nos resta, afinal? 

Aumentar o volume de alguma canção e dançar o mais loucamente possível porque amanhã o dia é outro. Talvez isso explique o porquê d'eu e Amanda dançarmos Crazy in love jurando sermos as coreógrafas do clipe da Beyoncé (espero que ninguém tenha visto essa cena, amém). E lá na frente, se eu viver, quero me questionar "a tristeza realmente existe?".





continue lendo

maio 02, 2016

730

via we heart it


O dia nasceu e depois dos últimos três dias intensos pensei bastante sobre o lugar em que o meu peito repousa - além dos braços dEle e da família - que é o Poético Diário. Pois, hoje, 2 de maio de 2016, o nosso cantinho completa dois anos. Me questionei sobre os desafios, as condições que a vida me doava e a poesia falha que habita cá dentro. Mas, acima de tudo, consegui olhar pra trás e ser muito grata aos tantos carinhos que recebo daqui e do mundo. Hoje, setecentos e trinta dias depois, afirmo que quero seguir e estar sempre a melhorar para vocês, por nós.

Nesse intervalo, escrevi meu primeiro livrinho, espalhei poesia pela universidade e ouvi desconhecidos falarem "eu leio você!". E quem deve agradecer sou eu. No meio de tantos erros, ainda sim, vocês continuam a esperar uma publicação ou o momento certo que eu reapareça após alguma dificuldade. E assim continuarei a seguir,  planejar e esperar que a poesia brote pelos cantos do universo; e quem sabe eu possa vivenciar, de pertinho, tudo isso daqui a um tempo - só que por aí, pelo mundo.

E, ah, admirem os pequenos detalhes da vida, pois aí se encontra o sentido de viver.

Sintam-se imensamente abraçados, de coração! <3
continue lendo

Bee happy: abril








1,2,3 - Fui surpreendida com os versos de uma escritora linda que muito admiro, a Hadassah Sorvillo do VUOU. Penso que quando 'cê escreve um pedacinho de ti vai junto, por isso me emocionei muito ao lê-la. E ó, logo estarei a provar o chá de hibisco, amora e rosa silvestre. Alguém já experimentou? <3

4 - Sim, vamos todos comemorar! Encontrei um fundo com luz natural (não editei a primeira foto), para algumas composições na hora de fotografar algo. E o mais interessante é que eu nunca havia pensado nesse cantinho antes hihi

5 - Celulite e frô nas pernocas porque eu amei a cor dessa plantinha que estava abandonada numa calçada

6 - Preciso nem dizer que quero revelar um milhão de fotos nesse formato, né? Mar, frases, Paris e agora esse casal maravilhoso pr'eu acordar sorrindo



Espero muito que tenham gostado dos registros! E já podem conferir o que a Laís, do Candy Deer, publicou sobre o mês que passou. Abraço apertado, até logo <3

continue lendo
 
poético diário 2014-2017 | design por Beautifully Chaotic