5 coisas que iluminaram o meu mês



Existem palavras e momentos que nos fazem repensar um melhor sentido pra vida mesmo quando ela tropeça. Aí, nesse instante, eu decidi compartilhar cinco fatos/coisas favoritas que aconteceram até agora nesse mês de maio. Imagina se tivermos algo em comum?

1. Sleeping At Last. Viajando pelas playlists maravilhosas do Spotify descobri esse grupo musical, ao qual tem o universo como inspiração. Certeza que é uma das descobertas mais incríveis da minha vida! O álbum que mais ouço é o "Atlas: Year One" de 2014. E as músicas por ele presentes possuem nomes um tanto convidativos para que possamos de uma vez ouvi-lo. Sun, Mercury, Venus, Earth, Moon, Mars, Jupiter são só alguns dos nomes que compõem o cd. Para ouvir é só clicar aqui. :)

2. A noite. Tiê ainda era desconhecida nos meus dias, mas ainda bem que ao cantar no Karaokê (Smule) a minha dupla já havia cantado essa canção, aí só tive que ouvir algumas vezes para aprendê-la. Me perdi no que era real e no que inventei foi a parte que mais me identifiquei. A gente sofre mesmo. Essas canções só nos ajudam a entrar na fossa de vez. Obrigada, Tiê.

3. Prosa de segundo. Já não é segredo que antes de dormir ouço umas composições e leio uns versos. E durante uma dessas madrugadas uma pessoa que muito admiro publicou um poema no instante em que eu estava sendo tomada por um. Percebam que eu falei no instante... foi coincidência poética, certeza. Nesse instante fui falar com essa pessoa e no decorrer entendemos que sentir dor faz parte. Acabei citando um verso de um dos meus poetas favoritos, Álvares de Azevedo, quando esse diz que a vida é uma planta misteriosa; e eu sei que é. Sentir dor é necessário para que você possa, finalmente, viver. Estranho, não? La vie, la vie. Esse instante de prosa com esse camarada me fez ganhar o resto da noite, ou talvez todos os dias que me restem.

4.  O meu trabalho de Ética. Um fato que muitos não sabem é que eu estudo o suicídio e suas particularidades. E nesse semestre da faculdade que passou desenvolvi uma pesquisa sobre o suicídio frente às doenças irreversíveis. Passei horas lendo, relendo e escrevendo esse documento; no fim consegui nota máxima e isso me deixou tão orgulhosa pra continuar que nem sei medir o quanto.

5. Isabel Allende. Eu sempre me aventuro com as obras disponibilizadas pela biblioteca da Universidade e nessas aventuras descobri a Isabel. Meu Deus, que mulher, que história! Paula foi uma obra que me pegou pela alma, pelo coração, pela mão. Fiquei surpresa com a forma que a autora interpreta a vida e o viver; logo estarei a ler outra criação de sua autoria e também comentarei bem detalhadamente esse escrito de 1992.

 E vocês, tem algum momento especial ou dica para compartilhar? Podem comentar que conversaremos sobre ♥



até mais, pessoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário