Vinte outonos

Depois que passei dos dezoito observo aniversários de uma forma diferente. Ao meu ver continua sendo um dia especial, mas é só um dia como qualquer outro - mesmo sendo muito especial. E chegar aos vinte anos me fez refletir em dobro sobre a vida e o nosso papel enquanto pudermos viver.

Ao contrário do que eu deveria ser, pequei contra mim por não acreditar no que eu era capaz de fazer. É... isso é uma falta gravíssima para quem vive. E preciso confessar que apenas após dos dezoito vi que a minha insegurança poderia me prejudicar e a palavra medo deveria se distanciar cada vez mais da minha vida. Isso aconteceu? Sim! E se não fossem esses tropeços nada seria como hoje é. Se canto, falo um pouco mais com as pessoas ao telefone, faço uma prova que temia ou arrisco sorrir quando não deveria é sinal que as coisas vão muito bem. Eu não teria conseguido isso tudo se não fossem pessoas que sussurrassem no meu ouvido "coragem, menina, coragem!". Porque existem momentos que não vão sorrir pra você e se você não aprender a ser leve tropeçará junto com eles.

O que eu aprendi com isso tudo? Arriscar sem temer

Foi desse jeito que vi o dia 01/06/2016 nascer. Acordei mais cedo ao som de A Quai, a canção da minha vida, e fiz um único pedido: que a força que eu aprendi a ter continuasse sempre comigo. Diante dessa situação eu sei que a paz chega, assim como o amor e a felicidade. 








 

Que os sonhos se realizem diante dos meus olhos e coração. Muito obrigada por cada energia que vocês depositam. Tenham certeza que vocês estão inclusos/as nesses sonhos. ♥



até mais, pessoal!

2 comentários:

  1. Que linda, que paz! Te desejo o melhor, lary, sempre! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh :') E eu te desejo o mesmo, uma vida cheia de paz e estrelinhas ♥

      Excluir