agosto 08, 2016

precisamos falar sobre transições - capilares ou não


Eu não sei de onde veio a coragem repentina de eliminar meio metro de cabelo de uma vez; e depois aos poucos, aos poucos [...] ver um pouco de mim indo pra lá sei onde. Por isso começo dizendo algo que todos/as que passam por esse processo dizem: não foi fácil. Muita gente não sabe, mas a transição capilar é um teste intenso e constante nas nossas vidas; pude sentir isso a cada dia, não só pelo fato da coragem que abracei, mas por todas as outras coisas que surgem após essa decisão e é sobre isso que eu quero conversar.

Vivemos em uma sociedade que pensa, em sua maioria, em uma mesma direção. Essa direção pode ser positiva, porém, em muitos casos não são. Tô me referindo as aparências. Somos acostumados a pensar que o cabelo liso arrumado é mais apresentável, que uns quilos a mais não poderão fazer parte de lugares comuns e que em hipótese alguma você poderá ser quem quiser ser - ao menos que favoreça aos que abraçam esse padrãozinho. Estranho, não? Tem muita coisa erradinha por aqui [...] se todos nós fôssemos iguais eu arrumaria um jeitinho de ser diferente.





***

Assim que dei o meu sexto e último corte capilar (sim, sexto) me assustei nos primeiros cinco segundos. E a única coisa que passava na minha cabeça era o quanto negativo aquele corte iria ser (para os outros) pelo fato d'eu estar na casa dos 70kg e meu rosto ser, hum.. digamos, parecido com um biscoito. Só que eu vi o quanto nos prendemos por nada. De verdade, juradinho, eu estava mais preocupada com o que iam pensar; e isso estava ultrapassando o que mais importava: eu conseguir me amar primeiramente. E por mais que duas ou três pessoas venham até mim dizerem como o meu cabelo liso & na cintura era mais bonito, automaticamente reafirmo que o fato d'eu estar feliz comigo constantemente é o que importa.

 Quando eu vi os fios caírem enquanto minha prima cortava vi muito de mim cair, ao varrê-los, foi como se eu deixasse um peso que me proibiu flutuar por todos esses anos. E eu sei que esse sentimento varia de pessoa para pessoa; em mim foi forte, e entendi o porquê de verdadeiros movimentos femininos insistirem tanto em viabilizar o nosso olhar positivo para nós mesmas. E repito: isso varia de pessoa pra pessoa. Você pode muito bem se sentir maravilhosa (e eu sei que tu é) com seus fios alisados. O que eu transmitir é sobre pararmos de nos aprisionar tanto pelos outros. Se for para você ser essencialmente você, seja como quiser e puder.

Um simples corte não é um "simples corte" se muita coisa sobre você estiver em jogo. Vai por mim, apenas seja você - sem medo. 


Já me segue no Instagram? É só procurar por @oilary <3

4 comentários:

  1. Meu cabelo é um tanto cacheado e tem muito volume, desde pequena insistia em prendê-lo todos os dias, usava várias mãos de gel para deixa-los no lugar, fazia coques e outras coisas que acabavam com ele. Quando parei para analisar o que estava fazendo já era um pouco tarde, ele ficou bastante danificado, então decidi que alisar era a melhor opção. E realmente é, eu amo meu cabelo liso e me sinto muito mais confortável assim, apesar de todo o trabalho de fazer chapinha e tudo mais. Porém, acho muito admirável as pessoas que conseguem se livrar dessa ditadura que nos impõe todos os dias. Imagino qual seja a sensação libertadora que esse ato lhe trouxe, fico extremamente feliz por você. Adoraria poder ver uma foto de como ficou! Deve ter ficado uma graça.

    Até mais. ♥ palavras agridoce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca soube cuidar do meu cabelo. Foram anos com ele amarrado, com a quantidade de creme errada... pra 'cê ter uma ideia: eu nem sabia lavar ou hidratar direito. Todo processo que envolvesse os meus fios, me batia uma preguiça instantânea. Me entreguei aos processos de chapinha e tudo mais aos quatorze anos - bem cedo. Por isso eu te compreendo super bem, Isa! Com um tempo entendemos o que pode ou não ser bom pra nós e eu fico super feliz que você esteja se sentindo bem mais confortável com o seu liso. Muito obrigada mesmo por ter vindo até aqui. Olha, na aba "sobre" aqui do blog tem uma foto minha (ainda desajeitada), mas logo me acostumo hahaha

      Até mais! E, ah, o seu diário virtual é a coisa mais linda ♥♥

      Excluir
  2. Sabe o que eu mais gosto de ler sobre a transição ? O como ela afeta nossa percepção de maneiras diferentes. E como é libertador. Adorei saber um pouco mais da sua história. Eu porém fui bem mais radical, cortei de uma vez só, e agora quase um ano após o bc eu ainda não passei nenhuma vez a tesoura no meu cabelitcho de novo. Algo, que já estou começando a achar que deveria. Só as pontinhas. Confesso que fico muito feliz por cada menina que passa por esse momento, que por mais difícil que seja, é algo que nos muda por dentro. A mudança começa de dentro e depois vem surgindo aos poucos por fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Clara, é tão bom te ver aqui! É lindo principalmente por ver que existem pessoas com histórias que se assemelham muito a essa que contei. Você tem razão: a mudança começa de dentro e sabemos que não é fácil. Hoje me sinto tão bem, tão leve [...] sou só gratidão. Através da transição você se conhece melhor e entende cada vez mais o significado da paciência nos nossos dias - além da coragem.

      Um grande abraço ♥

      Excluir

 
poético diário 2014-2017 | design por Beautifully Chaotic