pra nós dois



Sempre gosto de falar da primeira vez em que eu te vi. Eu tinha dezesseis, mais insegura, cabelo longo e um medo de olhar nos olhos de alguém. Lembro que senti algo estranho nas primeiras vezes que nos vimos. Estranho, pois eu não te pertencia; estranho porque eu sentia você comigo mesmo sem estar. 

E meu bem, os bons sentimentos moram aqui dentro e alguns anos já passaram. Se esse afeto aqui faz morada, o meu coração te pertence de alguma maneira. Seja pela dança torta que a gente faz tão bem, pelo jeito único que só você sabe me olhar; sei lá. A gente se completa de um jeito nosso, desde aquele 19/09/2012.


Ainda é cedo, lê essa mensagem aqui.

Eu te amo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário