na dúvida, escreva

Sempre gosto de compartilhar sobre os meus primeiros momentos ao lado da escrita. Tudo era meio torto, meio bobo; mas foi ,   e isso é o q...

Sempre gosto de compartilhar sobre os meus primeiros momentos ao lado da escrita. Tudo era meio torto, meio bobo; mas foi, e isso é o que sempre importou nos meus dias. Escrever, me adaptar aos escritos e as maneiras plurais que a arte se manifesta. Talvez por ter ficado ligada aos versinhos desde os meus quatro anos de idade esse carinho não tenha se perdido com o tempo. Por isso sempre fui rodeada de cadernos, a fim de registrar toda e qualquer inspiração que aparecesse. Aconteceu a coisa linda de eu ganhar um diário de uma grande amiga. Um diário onde, na sua capa, está escrito "vista sempre um sorriso". Ela disse que lá eu devo registrar todas as coisas boas que acontecem. Cada sorriso bobo, aquele detalhe que pôde salvar qualquer segundo. Tudo.

Me parece que quanto mais o tempo passa, a palavra escrever ganha mais sentido. Quanto mais eu externalizo em uma folha de papel, mais tudo ganha sentido. E, normalmente, esse sentido se relaciona ao alívio que o desabafo proporciona. Sabe aqueles medos que você sente sobre coisas que ainda nem aconteceram? Escreva-os. Sabe essa semana que passou? O que poderia ter sido feito melhor? Escreva. Sabe aquela dúvida que brota quando estamos prestes a tomar uma decisão? Escreva isso também.  A escrita tem o poder de nos reavivar. Fale sempre (para si) sobre os seus planos, os seus sonhos, os seus medos. Hoje eu quis mostrar, não os meus medos, mas como externalizar sentimentos pode ser mais prazeroso - bem mais do que você imagina.




Separe aquele pequeno livro e converse sobre coisas que você gosta. Sobre como a música conseguiu te acalmar, sobre como cada passo até aqui foi importante para você se reconhecer no caos. Escreva. E depois me diz o que achou dessa experiência.





🌼🍃💛

6 COMENTÁRIOS

  1. Me identifiquei tanto com as suas palavras, com esse post, com tudo. Havia um tempo em que deixei de escrever, de me importar com isso, e as coisas acabaram ficando meio soltas. Depois me reorganizei e voltei com o hábito de registrar os dias e aspirações tanto em cadernos quanto no blog. A diferença foi incrível, e agora não quero deixar o costume de lado nunca mais!

    As fotografias do post ficaram super lindas, Lary, e eu adorei ver que 'cê gostou da dica dos adesivos, tá muito fofo! *-*

    Beijos. :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acredito que as coisas podem sair do rumo quando a nossa cabeça e/ou organização não andam bem </3 é tão bom registrar! fiquei ainda mias feliz lendo o seu comentário, de verdade. esse post foi bem especial - e as fotografias me deixaram contente também.

      abraços, passarinha ♥

      Excluir
  2. Maravilhosa! Essa ideia do caderninho de coisas boas é excelente!
    Esse adesivo de foguete é fofo demaaaaaaaaais

    Com amor, ♥ Bruna Morgan ♥ ~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. escrever é sempre [sempre] bom! exercitar os seus olhos à rotina é algo que sempre me aquece, Bru. desde pequena gosto de registrar. e amei o foguete muito ♥ creative journal serão sempre ótimas ideias.

      abraço em você.

      Excluir