querido outono


Eu amo saber que temos a possibilidade de registrar a vida. Isso me estimula a me apegar aos detalhes que estão diante de nós.

Diferente do ano passado, o fim do outono aqui em Maceió tem esfriado um pouco e mesmo que vinte e muitos graus representem algo comum para o interior do estado ou para outras cidades do país, eu acabo sentindo mais frio - e até prefiro o tempo nublado, rs. 

Aproveitei para registrar algumas coisas que estavam ao redor. Isso inclui gatinhos e plantas (que são bem comuns por aqui, inclusive).

Para deixar esta publicação mais agradável, insiro abaixo a trilha sonora de um dos meus filmes favoritos, o Submarine cantado pelo maravilhoso Alex Turner. Você pode apertar o play e mirar as fotografias que seguem.


















See you.

Paris bem aqui

 

palavras. eu sempre gostei de escrever e sentir o mundo através das tintas, da música e da fotografia. por isso eu valorizo muito as cartas e as sensações que ela provoca no meu coração e de quem a recebe. hoje foi diferente, pois recebi cartões e chorei porque a sensibilidade que em mim reside me mostrou que as palavras, a história e a fotografia realmente mudam alguém. eu sou muito feliz por encontrar pessoas iluminadas e que apenas reafirmam ao meu ser que arte é vida e importa.

Esse foi o texto que escrevi no meu perfil do Instagram logo após o carteiro ter entregue uma surpresa. 

Sabe, eu sempre abracei as palavras e nunca me arrependi disso. Fui aprendendo que os versos melhoram a vida de alguém e que de alguma maneira a arte poderia salvar qualquer pessoa. Palavra desperta, fotografia resgata e tudo isso junto importa. 

Eu tenho certeza que por esse motivo sempre me senti impulsionada a trocar cartas com as pessoas. Assim ocorre com Luiza, assim ocorreu com Hadassah e tantas outras pessoas. Arte é conexão e vida. 




Uma semana após o meu aniversário chegaram palavras da Jaque. Eu me emocionei porque senti o quanto ela me viu com o coração. Em letras lindas e peito aberto me enviou partes da sua viagem por Paris - quem não sabe, um sonho sincero meu é poder conhecer Montmartre, bairro parisiense onde a personagem Amélie Poulain morou. Imaginem só abrir o envelope e ler sobre o tal bairro, ler sobre Yann Tiersen e ainda receber girassóis de Van Gogh [que vão ser enquadrados em breve!]. Eu quis registrar para que vocês pudessem admirar tantas cores lindas comigo. 





Para encerrar, o reflexo do céu na xícara de café que acompanhou o post e um vídeo curto sobre a chegada desse envelope. Achei tão lindo poder mostrar detalhes por aqui. Fico muito feliz que o blog me permita conhecer mais pessoas e voar um pouco mais a cada dia. 

E Jaque, esse post é dedicado à você. 




doce tangerina




Daquelas publicações em que a gente quase não escreve. Daquelas publicações em que a gente só sente e admira a cor da foto, a composição e a admira só por ela ser. 


nostalgia fotográfica e o meu aniversário


Temos duas roseiras aqui em casa. Uma nos dá flores brancas e outra nos dá flores vermelhas. Sempre acontece delas caírem e brotarem, por isso podamos e acompanhamos as reflorescências maravilhosas que a natureza as proporciona.

Assim como no ciclo das flores, hoje eu também vou reflorir. São precisos 23 outonos diante dos meus olhos, diante das coisas que eu gosto de abraçar e eu penso que a fotografia deveria estar ao meu lado nesse novo início e aqui no blog.

A ideia de nascer no dia 1 sempre me pareceu estranha [não perguntem o porquê], mas hoje vejo isso com olhos de amor. É o dia primeiro, o início de um mês, a metade de um ano; é outono. Vejam que dia maravilhoso, amigos! 

E bem, apesar de eu ficar pra baixo dias antes do dia primeiro, eu me sinto renovada quando ele chega. Eu sinto o que passou, eu sinto o que pode acontecer. Como agora, agora estou aqui sentada de frente para o meu computador e acabou de começar a canção La Terrasse do Yann Tiersen, o músico do meu coração. São detalhes assim que me cativam. 

Pensando nesse dia, aproveitei as flores de casa e o meu cafofo para eternizar essa memória do meu 2019 e o dia em que fiz vinte e três anos. 






Não sei se o vídeo acima abrirá, mas é uma apresentação do Yann chamada Yann Tiersen - Live Aux Eurockéennes de Belfort. Eu amo ouvir e reouvir sempre! (: Muito me alegro de poder compartilhar tantos detalhes lindos que me fazem bem. 

Espero continuar compartilhando histórias sobre a vida por muito tempo com vocês. Feliz junho para nós. Feliz vida. 


as cores do meu mundo

Após um tempo costumamos sentir e descobrir quais formas, jeitos e cores agradam os nossos olhos. Por aqui não foi diferente e senti que categoricamente o outono me representava bem. Mais alguém se identifica? No meu caso, acabei me apaixonando [por volta de 2014] pelos tons terroros. Essa paleta trouxe para perto tons de laranja, marrom e verde tanto para as roupas, quanto para os trabalhos com fotografia - e quando me dei conta esses mesmos tons também estavam nas ilustrações, rs.


Quando a Filiperson me enviou papéis eu mal pude esperar para experimentar as minhas novas cores. O processo foi bem mais interessante porque me desafiei a utilizar materiais diferentes em um único desenho. O resultado foi a menina que está nessas fotos. Junto dela, muito verde e as minhas combinações favoritas usando guache+lápis de cor+aquarela.



Materiais utilizados: 

Papel Filiperson, linha Filiart Renaud Aquarela 300g/m²
Aquarela Winsor & Newton Cotman
Tinta guache escolar (sem marca)
Lápis de cor aquarelável Faber-Castell 
Lápis de cor Multicolor
Lápis giz de cera (sem marca)


Vejo vocês!
Poético Diário © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.