leituras que pousaram aqui

me rendi ao Kindle aos "quarenta e cinco minutos". atribuo a culpa aos vídeos assistidos da Melina Souza e também aos papos de horas & horas com a amiga Aylla, uma das pessoas mais queridas que tenho por perto.

não sei se comentei aqui outras vezes, mas enfrentei um período de escuridão com a literatura. eu tive tantos livros, tantos, que acabava não lendo nenhum e em algum instante isso me desanimou a ponto de eu ler pouca coisa ao ano  e quando digo pouca é pouca mesmo. hoje sinto que o motivo não foi a quantidade de livros em casa e sim como eu não me organizei para priorizar os versos que pousavam em mim.

passado esse tempo de silêncio com a poesia adquiri um Kindle 10ª geração e tem sido muito interessante descobri-lo. fazer anotações, marcar páginas, trechos. sinto que foi uma escolha muito querida e tem me ajudado bastante nessa retomada de leituras e, consequentemente, escritos. nesse sentido, acabei separando um conjunto variado entre poema, história, imagem, biografia  não necessariamente nessa ordem.


já li:

sejamos todos feministas por Chimamanda N. Adichie  uma das coisas que eu estava em falta comigo foi a leitura de livros escritos por mulheres e sobre o feminismo. isso me fez lembrar de uma professora que tive na universidade quando me ensinou a importância de estar perto dos livros e do conhecimento. isso, principalmente, por saber que existem questões que não podem ser deixadas de lado e muito menos adiadas de compreensão. o feminismo é uma dessas coisas. sejamos todos feministas é uma adaptação da fala de Chimamanda no TED e explora fatos reais de sua vida até ela se ver como feminista, e melhor, explicando a importância de sermos também. são palavras que confortam e dão força.

um carinho na alma por Bráulio Bessa  fotografei o Bráulio em 2017 na Bienal de Alagoas e ele comentou algo muito bonito e que guardo até hoje em mim sobre a poesia ser atemporal. de fato ela é. hoje entendo o quanto ela é. o seu livro mais recente, um carinho na alma, traz um conjunto de poesias e fatos de sua vida muito sensíveis capazes de nos abraçar nos fazendo pensar a existência com mais carinho. um dos momentos mais leves que guardei são as lembranças do autor para que lembremos de ouvir a nossa voz, o nosso coração bem antes de tentar diminui-los.

my fat, mad teenage diary por Rae Earl  gosto muito de uma série chamada "My mad fat diary" e já perdi as contas de quando disse isso aqui no blog (desculpem, rs). porém, outro detalhe querido é que a comédia-drama é baseada em diários da adolescência da radialista e escritora inglesa Rachel Earl. diários reais guardados por ela e que por pouco não foram jogados por ela no lixo. ainda bem que isso não aconteceu porque ler a vida da Rae tem sido interessante. nele, as referências musicais e conflitos internos aparecem como na série, apesar de mudanças específicas. obs: coloquei ele nessa lista de lidos por já conhecer mais da metade das coisas que lerei, rs. 

estou lendo:

antropologia e imagem por Andréa Barbosa e Edgar Teodoro da Cunha

ensaio sobre a cegueira por José Saramago



quais leituras pousaram aí?

vejo vocês em breve.

Postar um comentário

poético diário