Social Media

conheça o meu atelier afetivo

Conheci a pintura em aquarela no mesmo ano em que a fotografia me encontrou. Desde então, nunca consegui me separar das duas. Nunca consegui optar por uma do que a outra. Seria difícil demais deixar as cores pela imagem. Seria difícil demais deixar a imagem para viver com os pincéis. Eu escolhi os dois lados. Foi assim que a arte visual me mostrou como administrar esses amores. Um envolvimento fluido, lento, como deve ser. Hoje eu digo: não importa o tanto de coisa que eu faça, sou também fotógrafa e artista visual. O meu coração está nesse duo. 


Por sentir tudo isso, eu sabia que seria bom fazer uma extensão carinhosa dessa prática. Mas, como? De forma simples, eu sabia que conversar sobre arte seria suficiente se o que eu fizesse pudesse chegar até mais pessoas. E esse fazer inclui materiais que alguém pudesse comprar e ter em casa. Refleti sobre o que eu gostava de produzir, refleti sobre como isso poderia possuir significado junto das artes visuais. 

 


Esse tanto de reflexão foi se acumulando. Esse tanto de sentir foi se aproximando das minhas vivências e sentir a Bienal do Livro, em 2019, me mostrou que seria especial criar coisas e colocar isso para o mundo. Divulgar devagar, produzir devagar. Fui prestando atenção na rotina, nas memórias, nas pessoas que cruzavam o meu caminho, nos filmes; em tudo. E foi nessa fase de paciência pra observar tudo com calma que ouvi lentamente (pela milésima vez) a música A quai, do Yann Tiersen, e que pareceu ter mais sentido ainda para mim.


 

Quai é uma espécie de cais e essa música sempre me balança de um jeito diferente. Tem algo nela que coloca a minha vida diante de mim. É estranho explicar. E foi por senti-la assim que me senti motivada a criar um atelier afetivo. Um lugar para que as minhas criações tivessem um lar. Seria injusto não apresentar esse perfil aqui, e depois de muita demora isso finalmente aconteceu.

 

 



A primeira coisa que pensei ao disponibilizar artes para venda, foi a possibilidade da experiência poética que as pessoas poderiam ter. Amo a ideia dos prints serem vendidos avulsos, mas adoro quando o print vai acompanhado por um cartão e por outras palavras. Foi aí que nasceu a coleção Cais (imagens acima). São 2 prints + 1 marcador de páginas. Quando vi tudo pronto me enchi de felicidade. Tudo fez sentido.





O Poético Diário é a parte mais bonita da internet (para mim). Todas as imagens, textos, memórias... tudo sai daquilo que é mais sincero na minha vida. Criar um atelier é um lembrete para que eu nunca esqueça que foi aqui, no blog, que tudo começou

Abaixo, links para o catálogo e também para o perfil no Instagram desse canto novo <3 Para mais informações, projetos e/ou artes personalizadas que vocês desejem produzir, é só me escrever para hilaryssa@gmail.com ou direct do insta, (: 




________________________________________

8 comentários

  1. Ah, eu sou encantada por esse seu trabalho mágico <3 Tudo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que linda, Larissa! muito obrigada pelo carinho sempre, <3

      Excluir
  2. Sucesso com teu atelier de delicadezas, Lari!

    ResponderExcluir
  3. Eu amo a experiência que a sua arte nos proporciona, é muito mais do que um produto, é toda uma vivência, e é lindo demais!
    Eu desejo que cada vez mais o atelier te traga alegria e conforto ao coração, é uma riqueza que transborda em cada detalhe ♡

    Abraços Lary,
    Any.
    Poetiza-te

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Any, assim me emociono! obrigada por sempre estar aqui <3 significa muito te ler.

      Excluir
  4. Maravilhoso! Eu amei receber meu Cais, foi mágico ♡ Vou manter comigo pra sempre :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. amiga, fico tão feliz! obrigada pelo apoio de sempre e por ser tão especial pra mim, <3

      Excluir

Instagram

Theme by STS